Home / Inspiração / Esculturas inusitadas na Torre de Londres

Esculturas inusitadas na Torre de Londres

Quando visitamos a Torre de Londres, vamos a procura das Jóias da Coroa, ouvir as histórias do Rei Henrique VIII e suas 6 esposas (das quais 2 foram decapitadas lá), como também conhecer os famosos Beefeaters. Porém uma das perguntas mais frequentes feitas por quem visita a Torre é sobre as estátuas. Elas parecem destoar do lugar, pelo menos até conhecermos a história por trás delas.  São esculturas feitas de tela de arame no formato de animais, não pequenas e fofinhas, mas ursos polares, elefantes, leões e macacos entre outros.

Vista aérea da Torre de Londres

Acontece que, durante a idade média, era comum reis e nobres se presentearem com animais exóticos. Dessa forma era comum dentre os reis e alta aristocracia ter um local dedicado aos animais selvagens. Guilherme I (William the conqueror) instituiu a sua originalmente na Mansão de Woodstock, perto de Oxford, porém, com o tempo, a mais proeminente se tornou a Torre de Londres, permanecendo como “Royal Menagerie of England” (algo como zoológico real de Londres) por 6 séculos.

Membros da Guarda de Yeoman (guarda costas da Rainha), conhecidos como ‘Beefeaters’Todos os tipos de animais passaram por la nesse período: um urso polar (que era mantido com uma corrente extra-longa para que o mesmo pudesse pescar no rio seu próprio alimento), três leopardos (que provavelmente eram leões na verdade), um avestruz (que acreditava-se poder digerir ferro, mas após sua morte foram encontrados mais de 80 pregos em seu interior), um elefante africano e vários outros.

Durante o século XVII o valor para entrada na “Royal Menagerie” era de meio pence, ou a doação de um gato ou cachorro para alimentar os leões. No século XIX a atitude das pessoas com os animais já tinha começado a mudar e a grande maioria dos animais foi transferida para o, já fundado, Zoológico de Londres. Os demais animais foram vendidos para o americano P.T. Barnum que estava em tour pela cidade. Em 1835 a Royal Menagerie foi finalmente fechada por ordens do Duque de Wellington (o mesmo que comandou as tropas inglesas na batalha de Waterloo onde Napoleão foi derrotado).

O Duque não era muito favorável à visita de turistas à Torre, acreditando em sua importância militar, porém a história mostrou que seus esforços foram em vão e a Torre recebe milhares de visitantes anualmente desde aquela época.

Mas afinal, quem fez as estátuas?

As estátuas foram feitas pela escultora Kendra Haste, membro da Society of Wildlife Artists (SWLA) (algo como Sociedade dos escultores da vida selvagem) uma organização que utiliza de trabalhos de arte para aumentar a apreciação da sociedade pela vida selvagem. A artista declarou que:

“nenhum outro material que usei previamente foi tão capaz de mostrar essa sensação de movimento e vida, cor e volume, do contraste de peso e leveza, solidez e  transparência – valores que eu encontro nos meus modelos naturais. É o meio perfeito, convidativo a uma exploração continua e desafios”.

Após estudar meticulosamente os animais, ela coloca camada após camada de arame galvanizado, que pode ser torcido e algumas vezes pintado para dar o efeito final, uma aparência que é muito próxima do animal original.

Até mesmo pequenos detalhes como definição muscular podem ser vistos nas esculturas.

Sem essas lindas esculturas de arame poderíamos esquecer dessa incrível história da Royal Menagerie.

 

Sobre Raphael Leite

Deixe uma resposta